Visualizações de páginas da semana passada

quarta-feira, 28 de março de 2012

Sete Vidas - Adriana Mezzadri

Há flores que brotam em pedras,intactas aguardam o tempo passar, pois a terra nutrida sempre reaparece!

Cada lágrima... o homem se faz ''ser'' ao olhar para o interior e sentir o que se é...
Fases da vida, passa, incendeia, candeia os olhos de súplica por um toque terno, andamos, passamos pelos caminhos tortuosos, imploramos por  cada dia passar na sua rapidez, esquecendo que cada dia é uma vitória e temos que aproveitar cada segundo, cada segundo de tristeza que envolve os olhos, cada dor que grita no peito, cada lágrima que cai sem parar, cada parada num sopro de desalento, cada choro uma saudade, cada descoberta a idade que passa, e em cada idade um amor que repassa, e cada espectativa, a vida nos consome, cada gesto e luta... na labuta dos sonhos, e novamente cada lágrima, as que molharam essas palavras e fizeram escoar dentro do peito cada desejo, inclusive o de se libertar....e em cada cobrança...  a fuga é o abraço que ninguém dar, o beijo que não existe, a palavra de carinho que de raras, coisas lindas da  vida... e em cada esquina sem saída, sempre um mapa nos ergue e espanca a amargura dentro de nós...
E no choro de soluço, sabemos que o crescer é sem balbuciação... mas aqui, é liberto tudo, tudo do coração...e se esquece do cobrar, pelo menos por um instante.... e se entregar ao arfar, arfar irritante, do medo, da perda, da saudade, do vazio... da solidão... e as lágrimas caem...
Caem o ego, as opiniões, e apenas um abraço ... o de conforto.... CONFORTO! E se escoa os gestos...
cada passo se escoa... novamente em rumo ... ao rumor do ''só'', sempre só... com a multidão...
E novamente o choro, o colo querido...querido colo confortando o coração...colo de extrema vocação...